Arquivo | fevereiro, 2011

pensamento do dia:

16 fev

tripas, carne, ovas, artaud, sangue, peixe, desuso. comida local, paladar específico, lugar ampliado, tecnologia banal, presença mediada. a salsicha é unida e separada pela tripa. a ova é a essência do peixe, o que ainda não foi, consumido pelo que é. a tecnologia em relação a presença, é saber onde o corpo poderia estar, mas não está… presença mediada. a salsicha é unida e separada pela tripa. a ova é a essência do peixe, o que ainda não foi, consumido pelo que é. a tecnologia em relação ao ato de presença, é saber onde o corpo poderia estar, mas não está.

tripas, carne, ovas, artaud, sangue, peixe, desuso…

Anúncios

Pequena Encheção de Linguiça Textual Pós-Dramática e Pós-Humana Vol. I

7 fev

Em cena: Tempo Cronológico, Fenomenologia, Existencialismo Precoce no Ser e Semântica Ultrapassada trocam ameaças em uma lagoa pública. Vina e Salsicha Defumada 1 observam, caladas, a encenação disparatada e ambulante, que hoje o Mar não está para Peixe. A presença marina, marinha, a lembrança atlântica ultramarina mediada multimidiaticamente que os ventos trazem para a paisagem árida e desgastante tornam tudo muito mais excitante. Fenomenologia tem um momento de pura afetividade durante a locomoção ensebada entre as pernas:

– Vocês cortaram todo o nosso cronograma? :O

O Cronograma Metódico, heideggeriano, parado ao lado, cofia o bigode e permanece calado, do início de tudo ao fim de tudo.

– Não é bem assim, precisamos pensar nos ajustes, na mediação de tudo por tudo, nessa presença que aqui torna tudo mariño e ensolarado, temos que pensar no intercâmbio, na troca, no troca-troca, na troca de tudo, fluidos e valores, na mais-valia. Na possibilidade de os olhos não conseguirem abrir diante de tanta luz espetacular. A luz do espetáculo que se dá aqui nessa sociedade.

– Nós não somos ribeirinhos.

– Enobrecemos o urbano.

Entra a Vara de Pescar, piscando um olho, como se divagasse sobre os “agentes de significado”, mercadorias e corporações. E diz:

– Eu não como essax porcariax industrializadax, não. Peixe a vida inteira, o ômega 3 aqui está na cara de todos, é a lógica do cultural turn. O cu e a boca guelras gasosas. A perversão da sociedade que faz a imagem, a aparência e a representação valerem mais do que o concreto, a experiência e o real

– De tudo há; encerra a Locomotiva Desenfreada, que a tudo percebia sem relatar abuso, sem pensar em besteiras, comedogenicamente, comendo e bebendo da terra e provocando com isso situações, os melhores chupadores da cidade, o concreto é uma situação bem palpável por sobre o mar. A locomoção do globo é uma situação inenarrável, metódica e morosa, como que para reprimir tendências lúdicas primitivas conservadas nas festas populares, sob a forma de escândalo.

Cai o pano de areia.

Itinerário dos últimos dias

5 fev

7º Dia: Florianópolis
06:00 – Após  04 horas  de um pequeno-café da manhã, descanse o quanto você quiser. Durma, sonhe, faça suas particularidades peculiares, deixe de fazer possíveis passeios e outras coisas, tenha mais tempo livre. A bela Florianópolis sempre estará aqui, cada vez mais decadente, esperando por você e por todos os turistas do mundo inteiro.

10:00 – Agora sim! Você chorou, esperneou, e foi seduzido para mais esforço, parabéns por continuar no 5º e 6º dias! Ninguém disse que seria fácil e cada um vivencia as experiências com as estratégias que dispõe. O seu prêmio é ter um tempo livre. Aproveite!

11:00 – Mais um tempo livre permitido. Pode aproveitar.

12:30 – Gostou? Então, toma, mais um tempo livre permitido para você fazer o que bem entender. Aprovou? Aproveite!

14:00 – Cansou? Saia do Quarto! Mesmo assim, fique com um quarto tempo livre permitido. Agora aproveite mais ainda.

16:00 – Reunião ambiental no Manguezal do Itacorubi, um dos maiores manguezais urbanos do mundo.

19:00 – Uau! Luau acadêmico e livre em uma praia local de forte surpresa.

02:00 – Alojamento e melancolia.

 

 

8º Dia: Curitiba – Florianópolis

06:00 – Após  03 horas  de despedida de seu delicioso pequeno-café da manhã, até dá tempo para você descansar um pouco mais.

09:00 – Comparecer na rodoviária com 03 horas de antecedência para formalidades de embarques com destino a Curitiba (consulte-nos para alguma cidade de escala).

12:00 – Despedida de Florianópolis, devolução da bandeira.

13:00 – Saída para Curitiba.

17:00 – Acomodação em sua própria acomodação de sempre.

18:00 – Jantar rotineiro em Curitiba. A saudade da comida rotineira dura apenas um dia.

18:00 – Procurar por sua identidade em Curitiba. Ela já não existe mais, você está impregnado pela cultura manezinha. Sua cidade já não é mais a mesma, os espaços estão em sua pele, a fuligem, o sal, a areia, o inseto sifonáptero – o Bicho-de-pé, o cheiro de peixe, o berbigão e a maresia. Florianópolis também já não é mais a mesma e você afogou a sua mesmice nos mares daqui.

21:00 – Restante da vida livre.

22:00 – Restante das noites livres da vida.

23:00 – Saudades e lágrimas embaixo do travesseiro.

na presença o incontrolável

5 fev

hotel cruzeiro. barco pirata.

um chamado para navegar. o incontrolável por baixo de nossos pés.

não se pode esperar compreender tudo. 1 hora e meia dentro de um quarto, 4:30 dentro de um barco. estamos aqui juntos, mas, separados. integrados pelo vazio por baixo da sola.

o assunto não se esgota. nos esgotamos. assim, frente a frente. a maldita presença, que traz consigo o cheiro, o cuspe, o cabelo perdido.  fios são tão uteis quando ligados a uma tomada.

faça-se a luz!

2o. esclarecimento aos internautas e astronautas

5 fev

O que é isso, na verdade, a não ser a situação?

Trata-se da realização de um jogo superior, mais exatamente, da provocação para jogar esse jogo que constitui a presença humana.

Pele

4 fev

O sol no Paraná até tem, mas parece que é um sol assim… assim, sombreado, que não queima.

Não é que nem aqui, é diferente.

E é por isso que a pele deles é tudo branquinha assim.

Foi assim, eu conheci o polaco já na cadeia.

Dei-lhe uma surra de buceta no homem, ele ficou amarradão.

Aí eu fiquei um mês sem aparecer, só pra ver qual era.

Me mandou carta toda semana.

O homem gamou mesmo.

Verdade mesmo.

Depois, não teve jeito.

O polaco é sincero quando ama.

 

Nota de edição: Depoimento de Arlete, amiga do ERRO Grupo, na saída da pesquisa no Grand Hotel Cruzeiro Resorte na Rua Conselheiro Mafra.

cosmopolitismo ilhéu

4 fev

%d blogueiros gostam disto: