Arquivo | julho, 2011

Chat Da Webtransmissão Programada Para O Dia 26/07/2011

30 jul

 

Welcome to the ‘companhiasilenciosa’ room.

 

companhiasilenciosa mod: oi, mundo

companhiasilenciosa mod: boa tarde, terraqueos

companhiasilenciosa mod: testando

companhiasilenciosa mod: oi

companhiasilenciosa mod: terraqueos

companhiasilenciosa mod: ca estamos para satisfazer vosso placer

companhiasilenciosa mod: alguem interessado no assunto Companhia Silenciosa?

companhiasilenciosa mod: Estamos aqui para conversar sobre:

companhiasilenciosa mod: Teatro

companhiasilenciosa mod: Teatro em Curitiba

companhiasilenciosa mod: Intercambio em Floripa

companhiasilenciosa mod: Presença

companhiasilenciosa mod: Presença Cênica

companhiasilenciosa mod: Tecnologias

companhiasilenciosa mod: Cena Multimídia

companhiasilenciosa mod: Cena no sul da América Latina

companhiasilenciosa mod: Intervenção Urbana

companhiasilenciosa mod: Espaço Urbano

companhiasilenciosa mod: Espaço Privado

companhiasilenciosa mod: SalsichaoTainha

companhiasilenciosa mod: Companhia Silenciosa + ERRO Grupo

companhiasilenciosa mod: Florianópolis

companhiasilenciosa mod: A Ilha da Magia

companhiasilenciosa mod: Praia subtropycal

companhiasilenciosa mod: Teatro e cena subtropycais

companhiasilenciosa mod: Estamos aqui contando com a sorte que pode se estabelecer entre o ser humano e a tecnologia que o media

companhiasilenciosa mod: Peguntas?

companhiasilenciosa mod: Perguntas*?

companhiasilenciosa mod: iPads mode on?

companhiasilenciosa mod: Cerveja importada?

companhiasilenciosa mod: Estamos falando directo do Restaurante BARRACUDA, Lagoa da Conceição, Avenida das rENDEIRAS

companhiasilenciosa mod: Rendeiras*

companhiasilenciosa mod: BARRACUDAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA

companhiasilenciosa mod: Aguardamos contacto terreno

companhiasilenciosa mod: amoroso

companhiasilenciosa mod: afetivo

companhiasilenciosa mod: fértil

companhiasilenciosa mod: e suave

companhiasilenciosa mod: Hoje nós dispensamos a rispidez da vida

companhiasilenciosa mod: facebooks

companhiasilenciosa mod: twitters

companhiasilenciosa mod: orkuts (not)

companhiasilenciosa mod: google +

companhiasilenciosa mod: todas as redes sociais

companhiasilenciosa mod: uni-vos na força da salsicha

companhiasilenciosa mod: 4 pessoas?

companhiasilenciosa mod: caladas, tímidas??

companhiasilenciosa mod: Nós não mordemus

companhiasilenciosa mod: (ao menos por enquanto)

companhiasilenciosa mod: http://www.companhiasilenciosa.com’

companhiasilenciosa mod: Estamos ao vivo no Twitter @salsichaotainha

companhiasilenciosa mod: pessoas?

companhiasilenciosa mod: que tal conversar?

uh ban: the video isn’t working since you have started it.

companhiasilenciosa mod: who’s saying that?

ih ban: o vídeo não funciona mesmo

companhiasilenciosa mod: sério?

companhiasilenciosa mod: quem é vc?

companhiasilenciosa mod: não dá para ver nada?

companhiasilenciosa mod: dá para nosouvir?

companhiasilenciosa mod: nos ouvir*

uh ban: no, the audio is not working also.

uh ban: nothing is working.

uh ban: only the letters

ih ban: sim a tecnologia nos deixa na mão

companhiasilenciosa mod: oh my fucking gosh

uh ban: the words.

companhiasilenciosa mod: sim, nos deixa

ih ban: a propósito

companhiasilenciosa mod: nada há que se compare ao calor humano

ih ban: como vcs incorporam essas falhas tecnologicas ao processo?

companhiasilenciosa mod: vc permanecerá incógnito?

companhiasilenciosa mod: incorporamos de maneira humilde

companhiasilenciosa mod: se não pega, não pega

companhiasilenciosa mod: não há como ser tudo nessa vida

companhiasilenciosa mod: hahaha

rafa ban: tá rolando a transmissão?

rafa ban: ???

companhiasilenciosa mod: deveria estar, rafa

companhiasilenciosa mod: nao da para vcs verem nadra?

rafa ban: mas pode ser eu aqui q não eseja conseguindo?

rafa ban: aqui no meu diz off line

companhiasilenciosa mod: já houve reclamaçoes

rafa ban: http://www.livestream.com/companhiasilenciosa?utm_source=lsplayer&utm_medium=embed&utm_campaign=footerlinks

companhiasilenciosa mod: mas aqui aparece para nós como se estivesse funcionando

rafa ban: este é o endereço?

ih ban: nada não vemos nada td preto

companhiasilenciosa mod: alguma dica para o bom funcionamento?

companhiasilenciosa mod: estamos aceitando

companhiasilenciosa mod: estamos conseguindo nos comunicar apenas pelas palavras

companhiasilenciosa mod: alguma questão?

companhiasilenciosa mod: relativa aos tópicos acima??

companhiasilenciosa mod: e/ou outros??

companhiasilenciosa mod: aceitamos conselhos

companhiasilenciosa mod: emocionais e administrativos

companhiasilenciosa mod: acredito que remarcaremos essa transmissão

companhiasilenciosa mod: SOMOS SUBTECNOLÓGICOS

companhiasilenciosa mod: Mas temos muito amor pra dar

companhiasilenciosa mod: No coração

companhiasilenciosa mod: ❤

rafa ban: adorei… pra assistir tem que ir a Floripa uia!!!

companhiasilenciosa mod: rafa

rafa ban: Então tratem de vir a Salvador

companhiasilenciosa mod: nós temos boa vontade

companhiasilenciosa mod: Mas hora dessas desembarcamos ai

companhiasilenciosa mod: aí*

rafa ban: Claro!!! Sucesso.. me vou que essa tela colorida piscando aqui…

companhiasilenciosa mod: vamos remarcar esse papo?

companhiasilenciosa mod: ou, talvez, vc prefira via Skype???

companhiasilenciosa mod: tela colorida piscando deixa tudo muito psicodélico

companhiasilenciosa mod: hahaha

companhiasilenciosa mod: há mais pessoas na sala???

companhiasilenciosa mod: TERRÁQUEOS?

claudia ban: não tem nada acontecendo aqui…?

companhiasilenciosa mod: Oi, Claudia

companhiasilenciosa mod: Deus está entre nós

companhiasilenciosa mod: estamos tentando algo…

claudia ban: e a conexão, também?

companhiasilenciosa mod: A conexão muito possivelmente não

claudia ban: aqui não aparece nada

companhiasilenciosa mod: Não aparece nada e não há nem som aí?

companhiasilenciosa mod: EITA POHAN

claudia ban: nada.

companhiasilenciosa mod: Claudia, nós estamos online

companhiasilenciosa mod: mas não sabemos o que acontece aqui

companhiasilenciosa mod: pra nós, estamos ao vivo…

claudia ban: melhor ir para outro lugar com conexão talvez

companhiasilenciosa mod: e não sabemos porque não esta permitindo

companhiasilenciosa mod: a transmissão

companhiasilenciosa mod: bem, nossa conexão está ok

claudia ban: …

companhiasilenciosa mod: enfim, faz parte da pesquisa…

companhiasilenciosa mod: infelizmente

companhiasilenciosa mod: teremos de remarcar essa webtransmissão

companhiasilenciosa mod: ne=ós avisaremos no blog salsichaotainha.wordpress.com

companhiasilenciosa mod: e no facebook

companhiasilenciosa mod: salsicahoatainha’

companhiasilenciosa mod: e nos nossos pessoais

companhiasilenciosa mod: giorgia conceição, henrique saidel e leonarda glück

companhiasilenciosa mod: desculpe…

companhiasilenciosa mod: se quiser, pode passar seu e-mail e te avisamos =)

companhiasilenciosa mod: obrigada, avisaremos da nova data

companhiasilenciosa mod: obrigada, avisaremos da nova data

companhiasilenciosa mod: e-mail da silenciosa:

companhiasilenciosa mod: companhiasilenciosa@hotmail.com

 

por problemas com a webtransmissão, remarcaremos a data

 

Anúncios

EL GRAN CABARET PORNO – Companhia Silenciosa em Florianópolis

25 jul

Political Woman

1 jul

Justaposição, contaminação e junção do conflito entre espaço e presença em PORNOSUSPENSE

1 jul


Justaposição, contaminação e junção do conflito entre espaço e presença em PORNOSUSPENSE

Por Luana Raiter e Pedro Bennaton (ERRO Grupo)

PORNOSUPENSE se originou nas discussões do ERRO Grupo com o fim de ativar espaços específicos que fizeram parte da cartografia organizada pela Companhia Silenciosa, que o ERRO realizou na cidade de Curitiba, e que na visão do grupo oferecem possibilidades de intervenção para refletirmos sobre os eixos de pesquisa do projeto Salsichão no Boquerão/Tainha na Prainha, que são as noções de presença cênica e possibilidades de criação de frestas, deslocamentos e rupturas em ações urbanas.

Os espaços específicos, alvos das ações do ERRO Grupo em Curitiba através do PORNOSUSPENSE, que consistiu em duas ações distintas no dia 10/06/11, uma noturna e outra diurna, foram escolhidos não só por sua arquitetura e relevância no fluxo cotidiano da cidade, mas também por seu significado na cartografia realizada anteriormente.

A ação de PORNOSUSPENSE, realizada no período noturno, teve como base a criação de uma intervenção na rua em relação ao Teatro Guaira, que, por exemplo, representa em Curitiba a ostentação do glamour da cultura local. Como o Guaira é um espaço fiscalizado, restrito, culto, erudito, imponente e, de certa forma, impotente, durante a cartografia, o ERRO Grupo pode percorrer as entranhas deste edifício e também observar algumas das particularidades da classe teatral curitibana. Nessa parte de PORNOSUSPENSE, a proposta era utilizar o terraço do Teatro Guaira para realizarmos uma cena, mas com a proibição pela direção do Guaira para isso, foi necessária uma readequação na criação para realizarmos uma invasão no terraço com o fim de conseguirmos fazer ao menos um fragmento da cena planejada anteriormente. Ao redor deste espaço específico também fez parte da cartografia do ERRO o quarto do Hotel Dan Inn, situado na Rua Amintas de Barros, que foi o local utilizado para a estadia do grupo, e que por acaso tinha vista para o magnífico terraço do Guaira. O Hotel como o Teatro caracterizam-se por serem não-lugares (Marc Augé), impessoais, e que simultaneamente tem a função de servirem como espaço de transição e, no caso do hotel, como uma casa temporária sem identidade para quem vem de fora da cidade e quer pernoitar nela. Esses espaços de transição sem identidade, utilizados para as ações íntimas e, ou, de lazer cultural no caso do teatro, foram utilizados pelo PORNOSUSPENSE, pois na visão do ERRO a cartografia em Curitiba teve um caráter meta-teatral e espetacular.

Segundo Augé, a cidade se descortina em um mundo provisório e efêmero, comprometido com o transitório e com a solidão. Nossos espaços de convívio são a medida de uma época que se caracteriza pelo excesso factual, superabundância espacial e individualização das referências. O ERRO Grupo trabalha desde sua formação em 2001 nas ruas de Florianópolis e leva suas obras a outras ruas de outras cidades com características diferentes das que o grupo vivencia em sua cidade natal, porém entre tais cidades, inseridas em um contexto de uma sociedade espetacular (Guy Debord), o grupo identifica similaridades que o possibilita também a explorar algumas frestas já reconhecidas mesmo em espaços urbanos distintos.

Em Curitiba, PORNOSUSPENSE não poderia deixar de agir sobre as vias curitibanas de tráfego, assim como praças e esquinas. No sentido de integrar o interno e o externo, o público e o privado, a presença mediada atua para que PORNOSUSPENSE penetre nas frestas de comunicação dos espaços internos, no caso do Teatro e do Hotel, contaminado e contaminando-se com a rua, o espaço externo. Além das ruas Amintas de Barros e a Tibagi, durante a ação noturna de PORNOSUSPENSE, foi utilizado o espaço da marquise de um prédio no lado oposto do Guaira, que é um espaço feito para ser invisível, um espaço que tem como objetivo proteger outro espaço, direcionando o fluxo das pessoas e de seus olhos de forma sutil e, ainda assim, brutal.  Um espaço que protege o que é feito para ser visto e tem sobre si o que se deseja ocultar da rua como um paradoxo entre o privado e o público, o visível e o invisível que sintetiza o ambiente de PORNOSUSPENSE.

A ação de PORNOSUSPENSE, realizada no período diurno, teve como espaço específico a Praça Carlos Gomes e o ponto de ônibus (tubo) que está localizado ali e é utilizado para o transeunte chegar ao Boqueirão através do transporte coletivo Ligeirão Boqueirão. Os tubos de transporte público que existem em Curitiba são elementos arquitetônicos específicos desta cidade, eles ressaltam aos olhos alheios pela estratégia do poder público em controlar e proteger o espaço urbano, em evidenciar o seu glamour e a sua espetacularização de acordo com a sua especificidade de temperatura climática. Deste local do centro de Curitiba, a Praça Carlos Gomes, que contém em seu centro fálico uma espécie de torre romana em miniatura, um pequeno lago e uma mini-cachoeira, é possível chegar ao Boqueirão, maior bairro de Curitiba, periférico e de pouco interesse cultural e histórico, não apresentado entre o mapa turístico da cidade, como o ERRO procurou evidenciar com as ações diurnas de PORNOSUSPENSE.

As escolhas dos espaços específicos pelos integrantes do núcleo de criação do ERRO Grupo preocuparam-se em explorar em PORNOSUSPENSE as possíveis e distintas formas de presença e sua mediação durante a intervenção urbana. Os ambientes escolhidos e percorridos apresentavam desafios de arquitetura e fluxo urbanos e para enfrentarmos tais dificuldades foram criadas ações que tornassem permeáveis, através do contato entre locais internos e externos, as vias de comunicação e encontro em pontos específicos de Curitiba.

Debord afirma que a origem do espetáculo é a perda da unidade do mundo, e sua expansão gigantesca exprime a totalidade desta perda. O espetáculo é o fazer ver um mundo que já não é diretamente apreensível através de diferentes mediações especializadas que nos levam à abstração generalizada da sociedade. É o contrário do diálogo e em toda a parte onde há representação independente, o espetáculo reconstitui-se. Nos dois períodos de realização de PORNOSUSPENSE foram utilizadas formas distintas de mediação e ampliação de presença. Uma delas foi propagar a voz da atriz, e de sons do ambiente, de modo a tentar assegurar a quem está escutando, no caso o público, de que esta pessoa está presente no mesmo local, mas que não pode ser identificada pela visão (fonte sonora distante da fonte de visão).

Outra maneira de ampliar a presença dos atores durante a intervenção urbana diurna em PORNOSUSPENSE é a reprodução de um discurso nitidamente pré-gravado propagado de modo a se re-significar através da ausência do corpo no qual se origina a voz (no caso o discurso e o corpo de Cicciolina). Além dessa mediação de presença de certa forma usual, também utilizamos a transmissão ao vivo de uma situação completamente privada dentro de um quarto de hotel para o ambiente público da rua, projetando imagens em tempo real na fachada do Teatro Guaira e exibimos ao público no televisor do quarto de hotel um vídeo pré-gravado no interior de um teatro. Contudo, mesmo com as ações mediadas, PORNOSUSPENSE tem como eixos principais as ações presenciais. Como, por exemplo, as ações que fazem parte de um universo privado (como escovar os dentes, trocar de roupa e higienizar as partes íntimas) em um quarto de hotel, que conta com a presença de um público selecionado por um jogo de palitinhos realizado na rua, e, conseqüentemente as ações realizadas na Rua Amintas de Barros em meio aos carros e na Praça Carlos Gomes.

 

ESPAÇO X PRESENÇA

A 1ª experiência prática de PORNOSUSPENSE aconteceu às 12hrs do dia 10/06/2011 na Praça Carlos Gomes e no ponto (tubo) de ônibus localizado na mesma praça. A presença mediada em questão sucedeu pela propagação da voz da atriz, e de sons do ambiente. A atriz atua de forma invisível dentro do tubo, conversando com as pessoas que ali esperam o ônibus para o bairro do Boqueirão. Ela conversa sobre os aspectos culturais e históricos deste bairro, pede recomendações turísticas e antropológicas. Tudo que ela fala e seus interlocutores respondem é captado por um microfone de lapela, cuidadosamente escondido, e propagado para o restante da praça. Quem está pela praça, não identifica precisamente o local de onde estão estas vozes, no entanto vê as caixas de som propagando os ruídos do local, e pela conversa, que em determinados momentos faz referência a praça, ao tubo, aos ônibus e especialmente ao Boqueirão, é dada a situação de que a atriz está infiltrada pelo local, e de que as conversas não fazem parte de uma gravação. O papo rotineiro ali propagado, em um determinado momento, é interrompido pelo pedido da atriz para que alguém tire uma foto dela no tubo, mas com a paisagem da praça em segundo plano. Assim, as pessoas passam a ver a atriz, que contra as paredes transparentes do tubo, faz pose de turista junto à paisagem, tornando-se paisagem de si mesma.

[1]

Nesta mesma ação foi utilizada a reprodução de um discurso nitidamente pré-gravado propagado para re-significar o próprio discurso e também a outra ação que não era pré-gravada. “A Itália é aqui”, este foi o sentimento que tivemos em nosso 1º encontro presencial, a cartografia, em Curitiba. Existe um esforço tremendo por parte de Curitiba de ressaltar suas influências culturais, eurocêntricas. Em passagem pelo bairro da Santa Felicidade fica exposto a supervalorização e a espetacularização (a qualquer custo) da cultura italiana. Encontramos, por exemplo, restaurantes que reproduzem, em sua arquitetura, os castelos medievais, que nada expressam senão o cúmulo e acúmulo da exploração capitalista sobre a história, um vazio de sentido em proporções gigantescas.

No Caminho do Vinho (outra vivência que fez parte da cartografia curitibana) fomos guiados por Rosana em um tour pelas vinícolas da região de São José dos Pinhais. Rosana falava algumas palavras em italiano, como “Buona sera, buon giorno, mi chiamo Rosana”, mas, constrangida, disse que não falava italiano. Rosana estava toda produzida com roupas típicas italianas, falava do salame do seu marido como sendo o melhor da região, falava mal dos produtores que não queriam adequar-se às imposições requerentes para obterem o selo do Caminho do Vinho, e apontava as cores da bandeira da Itália que foram pintadas em cada poste do trajeto do passeio turístico rudimentar, para valorizar a cultura italiana.

O que nos chamou a atenção nessa situação específica para expressarmos em PORNOSUSPENSE é a idéia de conservantes, da obsessão pela conservação. Conservantes esses, que ironicamente, são um dos pré-requisitos que Rosana ressalta para que as vinícolas participem do Caminho do Vinho, obtendo um selo de adequação em suas garrafas que é exatamente o atestado de que o vinho artesanal passa por um processo industrializado. É preciso conservar o vinho, conservar o salame, conservar a cultura. Mesmo que isso pressuponha passar por cima das tradições particulares da antropofagia da região, das antropofagias tradicionais das pessoas do ambiente e não por uma cultura imposta que diz que para conservar é preciso adaptar-se a regras que possibilitem que a tradição seja consumida. Esse foi o objetivo de nossa ação na Praça Carlos Gomes, expor a conservação do sexo, da conservação do falo espetacular, da conservação das aparências e de uma tradição mercadológica.

Após a propagação das conversas da atriz no tubo sobre os aspectos turísticos do Boqueirão, que resultou obviamente na recomendação de muitos dos desavisados participantes-atores a indicar um passeio pela Santa Felicidade, iniciamos a propagar um discurso de Ilona Staller, nascida Elena Anna Staller, mais conhecida como Cicciolina. Cicciolina fala em um italiano claro, sobre pornografia, política, corpo e performance, e o mais importante, refere-se aos homens como cicciolinos e as mulheres como cicciolinas, resultando na propagação incontável das palavras cicciolinos e cicciolinas pela praça. Após cerca de 10 minutos do discurso de Cicciolina, um ator entra na praça, distribui pela paisagem local 25 caixas de pizzas de diferentes pizzarias locais e estende panos com as cores da bandeira da Itália. Em cada caixa de pizza há um preservativo e uma gilete.

[2]

A 2ª experiência prática de PORNOSUSPENSE aconteceu às 19hrs do dia 10/06/2011 na Rua Amintas de Barros, no terraço do Teatro Guaira, na marquise de um prédio em frente ao Guaira, no quarto do Hotel Dan Inn (situado ao lado do Guaira), na TV de outro quarto deste hotel, na projeção na fachada do Teatro, no telefone no quarto de hotel e na calçada. Devido aos seus diversos espaços de percurso das ações, a proposta noturna pressupôs a presença dos atores através de diversas vias. Uma das vias é a ação presencial dos atores em um quarto de hotel junto ao público de forma a criar estranhamento entre ação pública e privada. A outra é a projeção em tempo real da intimidade de um casal em um quarto filmado. A aproximação entre os atores projetados e o público presente, o público filmado através de uma webcam, da cena pré-gravada de uma masturbação em um teatro que passa na TV de um quarto de hotel onde está o público, os atores que passam por este espaço de ação, assim como também passam pela a rua, e os atores que usam o telefone, são caminhos de presença pesquisadas em PORNOSUSPENSE.

Cada ator que realizou as ações nessa parte de PORNOSUSPENSE tinha um percurso específico através dos espaços ocupados pela intervenção: hotel, rua, terraço, quarto projetado e marquise. Na rua, PORNOSUSPENSE inicia com a atriz-1 que se aproxima das pessoas que estão na esquina (no local indicado na divulgação para o inicio da ação), cumprimentando-os um a um e oferecendo a eles a oportunidade de jogar o jogo de palitinhos, com palitos de dente, no qual entre três palitos, a pessoa tem que escolher o maior. Conforme público acerta o palito maior, recebe uma carta, que de um lado se lê a frase “a verdade está do outro lado” de um lado e no verso se lê a frase “aceite o mistério” (ou vice-versa).

Simultaneamente, a atriz-2 caminha segurando um salsichão na mão no semáforo, passando entre os carros e batendo neles com o objeto, enquanto o ator-1 caminha segurando um mapa da cidade pedindo às pessoas que o ajudem a encontrar as direções para chegar ao Caminho do Vinho. Ambos tentam envolver os motoristas e os pedestres que por ali se encontram em suas ações. No alto, no Hotel Dan Inn, do outro lado da rua onde está o publico, surge uma mulher (atriz-3) em uma janela iluminada do prédio, ela está semi-nua e fala um texto de Ionesco que é propagado nos arredores, como todos os outros textos da ação, através de microfone de lapela sem fio e caixas de som instaladas na marquise. Na parede do Teatro Guaira é projetada a imagem de um homem (ator-2) deitado em uma cama de um quarto do mesmo hotel. O público que venceu o jogo dos palitos, e recebeu a carta, é convidado a entrar no hotel pela atriz-1, que agora come uma beterraba crua, enquanto os desafortunados são orientados a permanecerem ali na rua até o final.

Uma vez dentro do hotel, o público afortunado é guiado pela atriz-1 até o quarto onde antes estava a atriz-3, e é convidado a entrar e ficar à vontade. A atriz-1 abre as cortinas do quarto, mostra vista do Guaira, local onde ocorre a projeção, que agora mostra a atriz-3 entrando no quarto e relacionando-se com o ator-2 em clima de tortura e bondage. Dentro do quarto com o público, a atriz-1 se relaciona com as pessoas, explora cada detalhe do quarto (livros, as comidas deixados ali, o frigobar) ela escova os dentes e liga a televisão. Na TV é transmitida uma cena pré-gravada em um teatro da cidade, na qual o ator-1 masturba-se assistindo ao ensaio da atriz-2. A atriz-1 entra no banheiro, deixa a porta aberta, abaixa as calças, senta-se na privada e inicia a lavar a sua genitália com o chuveirinho higiênico. Após isto, ela troca uma peça de sua roupa no banheiro e sai do quarto.

Na rua, o ator-1 que estava com o mapa e a atriz-2 que estava com o salsichão, iniciam a brigar, enquanto a atriz-3 e o ator-2 continuam sendo projetados na fachada do Guaira e chamam, via telefone, alguém do público que está no quarto ao lado. Durante essas ações, a atriz-1 invade o Guaira e sobe no terraço, fala um trecho do texto O Sistema dos Objetos de Jean Baudrillard e urina ali no mesmo nível de visão do público que está no quarto de hotel. O ator-1 e a atriz-2 terminam a briga e iniciam, junto a uma música que começa a tocar no ambiente, a dançar entre os carros até entrarem no hotel e irem até o quarto do público. O ator-2 se liberta do bondage, sai do quarto e a atriz-3, semi-nua, continua sendo projetada com a sua convidada na fachada do Guaira e senta em um prato de leite localizado no criado-mudo do quarto. O ator-1 e a atriz-2 chegam ao quarto do público, ligam para o Disque-Vandalismo (153), denunciando o que estava ocorrendo na rua naquele exato momento e solicitam ao público para que saiam do quarto. Enquanto o público do quarto de hotel retorna a rua e se une ao público que permanceu na rua durante toda a ação, o ator-2 sobe em uma marquise se relaciona com uma boneca inflável que estava ali o tempo todo, joga um líquido similar a gasolina por todo o espaço e solta uma fumaça vermelha que encerra PORNOSUSPENSE.

[3]

Com esse labirinto de corpos e suas mediações tivemos latejando o suspense em experimentar essas redes complexas de comunicação e intercomunicação junto ao público. No trabalho de grupo experimentamos a imersão, prolongada, os testes, inúmeros ensaios para se chegar a algo. Em PORNOSUSPENSE nos colocamos no desafio de trabalhar com a Companhia Silenciosa, também descobrindo a sua forma de operar diante do ato de criação, produção e execução, e, além disso, lançar esta experiência aos olhos de convidados e transeuntes.

Ao chegarmos a Curitiba com um esboço de roteiro estruturado para ser colocado em ação em alguns dias, nos deparamos com a instantaneidade própria da ação presencial. PORNOSUSPENSE aconteceu, conseguimos fazer nossa ação sem a intervenção de órgãos oficiais, perigo anunciado pela Silenciosa, mas, foi claro que a ação não ocorreu como foi idealizada. Será necessário refletir mais sobre a experiência de PORNOSUSPENSE para que possamos extrair dela seus preciosos achados e descartar o que dali excede. É uma questão de tempo, trabalho, reflexão e organização.

Tivemos problemas técnicos e de falhas de produção que prejudicaram o trabalho, mas que também serviram para pensarmos os meios tecnológicos dos quais estamos discutindo no projeto Salsichão/Tainha. Os erros técnicos são previsíveis, muitas vezes fáceis de evitar, no entanto, se não há precaução, produção e solidariedade na resolução de problemas, não podemos apenas depender da sorte, da energia do momento, da improvisação para solucionarmos os desafios impostos por nossas próprias criações. A situação de teste é prioritária ao experimento e PORNOSUSPENSE é o ato de se colocar no suspense que é adentrar o desconhecido.

Foi muito importante ter feito algo prático, tornar real uma estrutura de ações discutidas, registradas e organizadas em um papel, e fazê-la ganhar corpo em tão pouco tempo enquanto cada grupo ainda não conhece profundamente os procedimentos de ação do outro, seus conceitos de atuação, produção, função e doação ao trabalho. Achamos que algumas das situações propostas pela experiência de PORNOSUSPESNSE podem render um interessante trabalho, pensado com tempo, ensaios e cautela.

A prática nos possibilita reconhecer os nossos limites de criação, execução e de nosso próprio intercâmbio. Contudo, simultaneamente, nos resta uma questão: como limitar-se diante de um projeto que se propõe a discutir a presença cênica, as relações tecnológicas e as frestas dos espaços, ou seja, que se propõe a esgarçar nossos próprios limites de ação?

PORNOSUSPENSE é uma proposta que se insere na pesquisa teórica, conceitual, e na prática questionadora dos grupos envolvidos no projeto. O trabalho foi realizado com esse intuito de expressar por parte do ERRO Grupo a nossa percepção sobre a cartografia realizada em Curitiba.

 

POSSÍVEIS PERCEPÇÕES SOBRE PORNOSUSPENSE (reflexão por Juarez Nunes)

Por no suspense!

O suspense está na antecedência da cena (ação), onde a tensão da previsão dos acontecimentos se encontra na espera da resposta dicotômica sim ou não. Superada esta fase, a ação, propriamente dita, é socializada com os participantes (espectadores); não apenas no olhar; mas na vivência, na participação ativa.

Não há foco direcionado ao olhar, o que existe é a dispersão. É preciso escolher para onde se olha: no quarto do hotel para TV, através da janela para a projeção na parede esbranquiçada do Teatro Guaíra da cena que ocorre no quarto ao lado; para cena em cima da marquise de uma loja, para a ação que ocorre na calçada do Teatro Guaira, ou para ação que ocorre no terraço deste mesmo teatro.

Para onde olhar?

A simultaneidade impera, estamos diante de um hipertexto, de uma hiper-realidade. A leitura do PORNOSUSPENSE não se dá apenas na via do hipotáxico, mas também do paratáxico. Essa multiplicidade intertextual se dilui no cotidiano através de uma teatralidade que transita entre o visível e o invisível, onde a presença se dá na esfera da normatividade causando-lhe estranhamento e a representação se esgarça como pano velho. PORNOSUSPENSE desvela a novela das oito que expõe uma atriz de sutiã e calcinha para milhões de pessoas como objeto de mercadoria.

PORNOSUSPENSE, como Cicciolina, mostra o que os moralistas escondem entre as quatro paredes pela quarta parede, e como a televisão banaliza, com seus glamorosos “gostosos e gostosas”, o sexo, tornando-o mercadoria, e o ato sexual tornando-o suspense.

REFERÊNCIAIS BIBLIOGRÁFICAS

AUGÉ, Marc. Não-lugares: introdução a uma antropologia da supermodernidade. Tradução de M. L. Pereira. Campinas: Ed. Papyrus, 1994.

BAUDRILLARD, Jean. O Sistema dos Objetos. São Paulo: Perspectiva, 2008.

DEBORD, Guy. A Sociedade do Espetáculo. Tradução Isabel Hub e Teresa Adão. Lisboa: Afrodite, 1972.

SCHECHNER, Richard. Environmental Theater. New York: Applause Books, 1994.

SITUACIONISTA, Internacional. Antologia. Tradução de Júlio Henrique. Lisboa. Ed. Antígona, 1997.

NOTA

FICHA TÉCNICA DE PORNOSUSPENSE (apresentado no dia 10/06/11)

Concepção: ERRO Grupo

Produção: Henrique Saidel (Companhia Silenciosa), Michel Marques e Luana Raiter (ERRO Grupo)

Atuação/Performers: Henrique Saidel, Giorgia Conceição, Léo Glück (Companhia Silenciosa), Juarez Nunes e Luana Raiter (ERRO Grupo).

Técnica (projeção audiovisual, iluminação e som): Michel Marques.

Sonoplastia: Pedro Bennaton

Dramaturgia e roteiro: organização de trechos de textos de Guy Debord, Oscar Quevedo (“O que é a Parapsicologia?”), George Bataille (“História do Olho”), Marc Augé, Jean Baudrillard e Ionesco (“Ameddé ou Como livrar-se disso” por Luana Raiter e Pedro Bennaton.

Direção: Pedro Bennaton

Projeto: Salsichão no Boquerão/Tainha na Prainha – Rumos Itaú Cultural Teatro – Intercâmbio entre o ERRO Grupo e a Companhia Silenciosa.


[1] Luana Raiter em PORNOSUSPENSE na Praça Carlos Gomes, em Curitiba, no dia 10/06/11. Foto de Henrique Saidel.

[2] Praça Carlos Gomes, em Curitiba, no dia 10/06/11, após PORNOSUSPENSE. Foto de Henrique Saidel.

[3] Léo Glück e Juarez Nunes em PORNOSUSPENSE na Rua Amintas de Barros, em Curitiba, no dia 10/06/11. Foto de Pedro Bennaton.

Clique aqui para baixar o artigo: Justaposição, contaminação e junção do conflito entre espaço e presença em PORNOSUSPENSE

%d blogueiros gostam disto: